Palavras, palavrinhas e palavrões de uma pequena minoria dentro de uma elite ainda mais pequena... Se quiser partir alguma coisa envie por correio para: partemtudo@netcabo.pt

quinta-feira, dezembro 31, 2009

A fúria reina

Até agora, só uma prima me desejou "Bom Ano". As outras pessoas desejaram-me "Mau Ano".

sexta-feira, dezembro 04, 2009

Amélie Mauresmo encerra carreira

Agora ficou só lésbica! AHAHAHHAHAHAHAHAHAHAH



Notícia aqui (do encerramento da carreira, não vai ter cenas lésbicas nem nada).

quarta-feira, outubro 07, 2009

Alguns desenhos

Entretive-me há uns tempos a desenhar algumas ideias que me vieram à cabeça entretanto. Umas com lógica, outras sem lógica. Mas desenhei-as. E conforme tenha vontade, vou desenhando mais e publicando aqui. Os primeiros 3 exemplos são estes:
































terça-feira, maio 12, 2009

Guerra Urbana, a Batalha dos Trocos

Em toda e qualquer situação de vida gosto de ter bem presente o valor conhecido como na gíria como "limite do razoável".
A meu ver, tal limite é apenas tocável (preferencialmente ultrapassável, neste caso), no caso de se tratar de uma situação de alarve parvoíce/pura estupidez/prova cabal de falta de discernimento. Aí sim, o "limite do razoável" não passa de um ponto de partida, de um, vá lá...padrão mínimo.

Há no entanto situações em que o "LdR" [ndr: "Limite do Razoável" ] já foi ultrapassado há vários semestres, com culpa de todos nós, que nos atiramos para trás, sem receios, no "puff" do conformismo. Assim de repente, aquela que me parece mais grave é o terrorismo psicológico de que somos vítimas quase diariamente na batalha conhecida como "A dos trocos".

Quando levantamos dinheiro num caixeiro automático, regra geral verifica-se o caso de já não o termos em quantidade suficiente para a próxima transacção, e quase sempre porque já não temos mesmo nadinha a não ser uma rupia e dois rublos que adornam o bolso da carteira, em jeito de recordação.
Felizmente, os caixeiros automáticos apenas nos permitem levantar papel-moeda (a.k.a. Notedo). No entanto, não existe uma única compra que efectuemos após um levantamento automático, em que o nosso cérebro não seja invadido pela "culpa" em nós induzida pelo funcionário responsável respeitante ao facto de não termos trocos. Não está errado não ter trocos! Pode-se "não ter trocos"! Raios me partam se eu não odeio trocos e funcionários terroristas! Quantas vezes não são estes mesmos camelos que nos encharcam de cascalho, porque ora "não tenho moedas de 1euro", "só tenho moedas de 4cêntimos", "ah.......não tem 30 cêntimos, mesmo?" entre tantas outras desculpas ridículas?! Com que direito nos fitam com olhos de quem condena?! Arre, porcos!


Não à guerra dos trocos! Não aos trocos!

Partem Tudo.

terça-feira, março 24, 2009

Caldo de Conversa

Pessoa A: Então foste partir o nariz ao rapaz?
Pessoa B: Ele é que começou. Deu-me uma sepa. Não admito que me toquem na nuca
Pessoa A: E era preciso dar-lhe uma cabeçada no nariz?
Pessoa B: Limitei-me a dar com a outra face.

terça-feira, fevereiro 17, 2009

Nomes de Doenças

Parkinson, Crohn e Down's fazem parte daquele ínfimo naipe de seres humanos que realmente marcam a diferença. Identificaram doenças e síndromas. Graças ao esforço e talento desta gente, a nossa vida torna-se um bocadinho menos penosa. Estamos a falar de seres humanos que cumprem em pleno a sua passagem na terra, e seus nomes, com toda a justiça, jamais serão esquecidos. Mas não é um bocadinho bizarro ter o nome, para todo sempre, associado a uma enfermidade? De cada vez que um idoso se esquece onde pôs a dentadura, Parkinson é invocado. Será que os descendentes de Crohn apreciam ver o seu apelido para todo o sempre associado a uma incontrolável urgência para defecar? Eu pelo menos, se descobrisse uma doença não pensaria logo: "Eia!! Deixa-me ir já registar!!". Não gostava de ver a tragédio dos últimos dias de vida agonizantes com um Araújo-Jorge galopante. "Olha...coitado...apanhou Araújo-Jorge...sempre lhe disse para não roer as unhas...". Não gostaria que a minha prol se visse a braços com o embaraço de uma campanha para angariar fundos para o combate ao Araújo-Jorge.

Isso leva-me à próxima questão: este blog anda pelas ruas da amargura. Serás que os meus amigos apanharam Ayres-Pereira? Ou será que sofrem de um estado avançado de Cabral-Menezes? Se calhar estão cheios de Feio-Mendonça nesses ossos, coitados.