Palavras, palavrinhas e palavrões de uma pequena minoria dentro de uma elite ainda mais pequena... Se quiser partir alguma coisa envie por correio para: partemtudo@netcabo.pt

quarta-feira, novembro 21, 2007

Linguado à portuguesa.

A minha lingua na tua lingua: http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?article=306706&visual=26

Finalmente vamos ter uma lingua com prestígio. Eles vão finalmente uniformizá-la! Fazendo vista grossa, com sobranceria e orgulho, ao exemplo inglês (que permite aberrações como por exemplo color e colour, onde já se viu?!!), Eles vão criar uma e uma só lingua portuguesa. Podiamos dizer que é como se faz lá fora, mas felizmente não. Os outros desleixados andam por aí a arrastar a lingua de forma indigna, deixando-a secar com a poeira dos tempos. Mas nós não! Ah pois não, a nossa lingua não seca. Será, muito brevemente, uma língua Úmida graças a esta Ação. Para tornar o acordo ortográfico justo, eles ponderam coeficiente de cedência. O nosso povo, sempre diplomático, irá ceder cera de 14% da sua forma de portuguejar. Já os braliseiros irão ceder um pouquinho menos.

Mas de que serve uma e uma só lingua, quando temos esta disparidade toda de sotaques? Eles que se lancem no terreno e façam já levantamentos. Comecemos por portugal. Arranjemos uma e uma só pronúncia. Uniformizemos o falar nortenho, indo desde a afurada à ribeira, passemos pelo peso da régua, subamos até mirandela e uniformizemos. Como será ceder 16,4% do sotaque à porto? Em relação ao novo sotaque? Ou marquemos como "central" o ponto equidistante ente todas as fronteiras de um país? Vamos até Escalos de Baixo, em Castelo Branco (mais ou menos a meio do nosso mapa) e entabulemos conversas de rua. Não parece mal. Aponte-se tudo em quadros e tabelas.

Depois façamos o mesmo para todos os países lusófonos. No brasil teremos concerteza resultados interessantes. Em moçambique, por exemplo, que percentagem será que a malta da gorondosa estará disposta a ceder em relação à pronuncia da capital? Eles que se entendam. No fim, Eles que agreguem tudo, lancem os dados, e elaborem um tratado lusofonético, com sanções a aplicar. De cada vez que uma menina bem diga "pâdro", ou "sêite" nas escadas do garcia de orta, desviando-se do sotaque central, levará logo uma reguada na boca.

Sem comentários: